A escola precisa focar em Softskills.

Atualizado: 1 de Mar de 2019

A escola do seu filho é medíocre.


Vamos começar de forma bem sincera, pois precisamos ser sinceros com a sociedade. Uma sociedade consciente que somente a verdade é capaz de mover o homem à verdadeira sabedoria: a escola que seu filho está agora é uma escola medíocre. Sim, você pode até não querer concordar, mas no seu subconsciente você sabe que há muito tempo, a melhor escola da sua cidade, na verdade tornou-se insignificante, irrelevante para a verdadeira formação de vida de seu filho.

Para provar uma argumentação e, nesse caso da escola medíocre, dispomos de vários recursos intelectuais. No entanto, gosto muito das experiências reais e rápidas, elas sempre servem para provar o quanto, na prática, a maioria das coisas são bem distantes de seus conceitos teóricos.

Recentemente estive a matricular meus filhos numa nova escola na cidade. No ano anterior, no conceito cultural dos intelectos da cidade, a escola que eles estavam era a melhor da cidade. Resolvi, esse ano, colocá-los numa escola mediana (ponto de vista conceituado pela classe média local). Poderia colocá-los numa escola da capital, mas preferi colocar nessa escola pelo fato de já ter provas suficientes que ambas não possuíam diferenças significativas. Acompanhe o texto que tudo fará sentido.

Na minha visita, conversando com funcionários, entramos num pequeno debate sobre os preços das escolas na cidade. “Qual escola tinha o menor preço?”, “X escola têm o menor preço”, “o preço da escola x é menor, mas a outra tem natação”. Sinceramente uma discussão superficial sobre educar de forma responsável nossos filhos. Tive que aproveitar a oportunidade, e você precisa fazer isso a todo momento se deseja transformar o seu mundo (pelo menos). De forma direta, falei para todos que os preços eram muito irrelevantes, pois pagar a escola mais cara não significava nem um pouco que seu filho seria melhor ou, de fato, estaria na melhor escola.

Questionei aos presentes na sala da sabedoria sobre qual era a diferença da escola A para a escola B? Lógico, eles não souberem responder. E se eu perguntar a você também, você não saberá responder. Talvez irão surgir respostas vazias, tais como: as paredes são diferentes, o acolhimento é maravilhoso, somos do sistema de ensino x, temos projetos x, tem natação, tem dança.

O que estava sendo questionado era o que as escolas tinham de diferentes em termos de garantir que seu filho fosse uma pessoa de resultado. Uma pessoa excelente, um campeão de suas próprias competições. Uma pessoa com o domínio da softskills: autonomia. Autonomia em saber buscar e resolver problemas de modo eficiente.

Sabe, a escola faz questão de ser medíocre. E faz isso com maestria. Ela é medíocre quando, desde a educação infantil cria hábitos em seu filho da necessidade de ter sempre alguém para mostrar a ele as soluções de seus problemas. Seu filho cresce com essa figura de o professor ser o cara que vai salvar a vida dele. E a ilusão continua durante todo o ciclo escolar.

Ser medíocre é uma arte para poucos. A escola avança mais ainda na sua irrelevância, pois num mundo em que precisamos conectar mais as pessoas na forma de produzir e criar soluções colaborativas, ela enfileira as crianças. Uma carteira depois da outra. Todas são assim. Seu filho chega, senta no seu “banquinho”, pega o caderninho e começar a ouvir, em alguns momentos participar, em outros ele dorme um pouco, pois o seu corpo está em repouso e do repouso surge como consequência a necessidade natural do sono.

O corpo de seu filho só está pedindo para cumprir o papel dele de descanso que está sendo incentivado pela própria escola. Senta, ouve, copia no papel ou mentalmente e pronto. Depois vai embora.

Você pode falar que a sua escola tem os trabalhos em grupos. Sim, são aqueles trabalhos equivalentes a cinco por cento de todas as aulas, o que seria um avanço, mas não estamos falando disso, pois nem mesmo a disposição das cadeiras de uma escola não irá significar que ela deixou de ser medíocre.

A estratégia que a escola usa, ainda continua a mesma. A aula de hoje é sobre x assunto. “Vamos lá, copiandoooo...”, ou em algumas escolas com mais recursos pode ser: “digitando”, “tira uma foto com o celular”, “irei enviar por e-mail”.

Confesso a você que gostei de ter estudado números imaginários na escola, mas a raiva surge quando sei que nunca usei tal aprendizado em nenhum lugar e não usarei na minha vida em lugar nenhum. Talvez, um dia eu possa precisar, no entanto você sabe que o mundo já tem internet, correto?! A minha competência comportamental de autonomia e determinação garante que eu irei aprender, caso precise, pois há muito recursos disponíveis no mundo online.

Esses recursos estão disponíveis de forma digital, ou escrita, porque algumas pessoas que conseguiram se libertar da escola medíocre tornaram-se pessoas produtivas e úteis à sociedade. São pessoas produtivas porque aprenderam a dominar sua inteligência emocional em algum aspecto. Isso foi o suficiente para serem excelentes, para serem campeãs naquilo que propõem a fazer.

As escolas sabem do diagnóstico, dos principais problemas a serem enfrentados, mas elas não sabem e, de fato, não sabem como resolver isso, então elas são medíocres também em não saber como resolver, de forma prática, em criar um aprendizado relevante para seu filho.

Já ouvir até escola comemorar que está dando agora para seus alunos aula de educação financeira. É como se estivessem conversando com algum idiota, será que sou um idiota?! Educação financeira, minha filha de sete anos, já havia aprendido ao jogar “Banco imobiliário”. Apenas vendo os outros jogando, seu filho já saberá a importância de ter uma boa estratégia para economizar e saber onde investir. Agora montam um curso desse assunto dentro da própria escola e dizem que isso é inovador, é amar platonicamente ser medíocre. Certo, mas então qual a verdadeira solução de forma prática para garantirmos uma educação de excelência?

Você, pai, mãe sabem mais que a escola, não tenham dúvida. Vocês, ao menos, não são medíocres. Quando dizemos que sem a família a escola não educa, estou dizendo a você que você é o grande professor de seu filho. E a escola deveria trabalhar justamente essa conexão. A escola deveria ser uma extensão da família e não o contrário.

Enquanto você tentar educar seu filho para a vida, a escola destrói e faz isso quando tira dele a capacidade de continuar praticando a inteligência emocional, de melhorar suas habilidades de liderança, de ser uma pessoa flexível, autônoma, focada em resultado, saber se comunicar bem, ter resiliência, ter empatia. A escola precisa focar em softskills.

Focar em softskills não significa também que as outras coisas são irrelevantes. Do contrário, estou querendo dizer que o foco do aprendizado é a inteligência emocional. Desse ponto que os conteúdos são inseridos, que a tecnologia é aproveitada ao máximo. Quando os projetos de aula têm como meta principal a softskill, os conteúdos passam a ter sentido para os alunos e, dessa forma, não estamos falando de aprender mais, mas tornarem pessoas de resultado.

A escola deve ter um framework (sentido de estratégia ) de educação feito com base na preparação de seu filho para os desafios da vida e de uma forma evidenciada. Não importa se ele será médico, empresário, professor, o importante é que ele de fato terá apoio para experimentar, praticar, pesquisar e também aprender conteúdos acadêmicos, mas nada de número imaginário (somente se fizer sentido a meta que ele definir).

Agora, se você sabe da importância disso, e não está incluindo o seu filho para que participe de um ambiente acadêmico onde ele vai focar na melhoria de suas habilidades emocionais. Você também está sendo medíocre.

Tenha cuidado para não serem enganados pela escola medíocre. Ela vai dizer a você que também trabalha em seu filho habilidades emocionais. Agora pergunte a ela como ela faz a medição disso. Ela não terá resposta, e você já sabe o porquê, ela é medíocre. Atenção máxima as respostas evasivas.

Lembre-se que a escola também é muito e muito medíocre quando transfere a responsabilidade de educar para os pais. É uma coisa sem fundamento matemático. Você pagar para seu filho aprender na escola e depois a própria escola diz que a culpa é sua.

A proposta é que seu filho seja preparado para as adversidades de um mundo extremamente dinâmico. Um mundo onde as variáveis são infinitas e ele precisa ser uma pessoa, no mínimo, colaborativa, criativa e comunicativa. A escola precisa focar em Softskills, você precisa urgentemente garantir que seu filho vivencie numa escola que, de fato, preocupe-se com a formação de sucesso dele.

CEO da MargiEducation: Reginaldo Santana


Clique aqui para conhecer o que temos para seu filho

230 visualizações

© 2019 por MargiEducation

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social

Av. Getúlio Vargas, 468, Sala 1, 1ª andar

Centro. Estância-SE /

Galeria em Frente a Clínica Dr. Alexandre.

E-mail: margi@margieducation.com

Contato:  (79) 99935-1853